Histórias de Lily

O motivo do choro é saber que a vida é dura, mas o coração é mole. Bobo. O olho vermelho e inchado é por não saber ser rasa. E não saber exigir pouco dos outros e de mim. Tem dias que a saudade sangra, machuca, deixa minhas vísceras expostas. E o que eu faço com a saudade? Tem dias que faço besteiras, outros dias caipirinhas. Depende muito, hoje fiz brigadeiro. Fiz brigadeiro porque não conseguia te ligar. O motivo é essa insegurança que parece ser um órgão meu. É ver que a lágrima sai mais fácil que o riso frouxo. Sei, nem parece. Só quero mostrar agora que eu não sou essa fortaleza, essa menina disposta, e auto-suficiente. Esse lado é o que te deixo ver. Sou cheia de neuras, medos e fragilidade. O motivo do silêncio é ferir quem se aproxima quando aqui dentro dói. Por isso prefiro ficar calada agora. O motivo é o coração mole, na vida dura, que sempre apanha mas não muda.

– Histórias de Lily
Da série: Começo
Paula Chiodo, São Paulo, Julho de 2007.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s